top of page
  • Foto do escritorIasmin Penido

Para que fazer psicoterapia?

A psicoterapia é uma interação profissional entre o psicólogo e o cliente com o objetivo de ajudar este último. Skinner (1953/1994) caracteriza essa interação como “audiência não punitiva”, isso quer dizer que o psicólogo oferece uma escuta empática e sem julgamentos. Além disso, as intervenções realizadas pelo profissional são escolhidas pensando sempre no benefício do cliente.
Esse cenário é bem diferente do que acontece no quotidiano. Em conversas com um amigo, por exemplo, é pouco provável que esse amigo consiga se colocar como uma “audiência não punitiva”. Já que ele não tem o treinamento técnico para isso. Um amigo pode ter dificuldade de pensar o que for contado a ele a partir de diferentes perspectivas, por ser influenciado pela própria história de vida ou por se envolver emocionalmente com a situação. Em contrapartida, um amigo oferece um tipo importante de apoio social, que leva a sensação de conexão e pertencimento.


Durante a graduação de Psicologia, estuda-se diversos aspectos do comportamento humano. Então o psicólogo sai capacitado para analisar e intervir em diferentes situações. As intervenções acontecem durante a própria interação ou por meio de tarefas para serem feitas fora da sessão.
Algumas pessoas chegam até o psicólogo após passarem por uma consulta psiquiátrica, pois a psicoterapia é uma forma de tratamento reconhecida para Transtornos Mentais. Outras pessoas chegam ao identificarem algum incômodo em suas vidas, seja uma dificuldade de se relacionar com a família, com o parceiro amoroso, com os colegas de trabalho ou até consigo mesmo. Há ainda quem venha para se conhecer melhor e buscar desenvolvimento em alguma área da vida.
Além do que é trazido como demanda, o psicólogo vai identificar outras questões envolvidas. Por exemplo, uma queixa de ansiedade comumente está associada a padrões altos de autoexigência e dificuldade de comunicação. Isso é entendido a partir de uma análise individualizada da interação da pessoa com o mundo que a cerca.
Um processo de mudança exige empenho de ambas as partes. O psicólogo dispõe de seus conhecimentos técnicos com muito cuidado e gentileza. O cliente se compromete na direção do que deseja.
Dito isso, a conversa com um amigo não substitui a psicoterapia. Nem a conversa com um psicólogo substitui uma amizade. Muitas vezes precisa-se dos dois.

Skinner, B.F. (1994). Ciência e comportamento humano. Traduzido por J.C. Todorov e R. Azzi. São Paulo: Martins Fontes. 9ª ed. (trabalho original publicado em 1953).

コメント


bottom of page